top of page
  • Foto do escritorAo Redor - Cultura e Arte

"Tudo tão Vago" de Mario Quintana

Atualizado: 26 de dez. de 2023

Mario Quintana, nascido em 1906, distinguiu-se no panorama literário brasileiro por sua abordagem singular na poesia, na qual a simplicidade aparente de sua escrita esconde complexas camadas de interpretação e significado. Sua poética, marcada por uma aguda sensibilidade, explora com maestria as nuances dos sentimentos humanos e as trivialidades da existência cotidiana.

Na composição "Tudo tão Vago", Quintana conduz o leitor por uma trajetória que entrelaça reminiscências da infância a elementos do simbolismo natalino cristão. O poema desdobra-se em uma memória etérea, na qual a imagem de Maria, lavando as vestes do Menino Jesus às margens de um rio, emerge como uma alegoria da pureza e da renovação espiritual. Esta obra não somente invoca a tranquilidade sacral do Natal, mas também reverbera a busca inerente do ser humano por conforto espiritual e purificação. Esta análise da poesia de Quintana mostra que o verdadeiro sentido do Natal pode estar até mesmo nas lembranças mais vagas e confusas.

---


"Tudo tão Vago" de Mario Quintana


Nossa Senhora

Na beira do rio

Lavando os paninhos

do bento filhinho...


(de uma cantiga de ninar)


Tudo tão vago... Sei que havia um rio...

Um choro aflito... Alguém cantou, no entanto...

E ao monótono embalo do acalanto

O choro pouco a pouco se extinguiu...


O Menino dormira... Mas o canto

Natural como as águas prosseguiu...

E ia purificando como um rio

Meu coração que enegrecera tanto...


E era a voz que eu ouvi em pequenino...

E era Maria, junto à correnteza,

Lavando as roupas de Jesus Menino...


Eras tu... que ao me ver neste abandono,

Daí do Céu cantavas com certeza

Para embalar inda uma vez meu sono!...




A Ceia de Natal Uma Celebração Atemporal e Seu Simbolismo_20231226_072710_0000
.pdf
Fazer download de PDF • 6.34MB


Acompanhe nossos podcasts no Spotify. 

Inscreva-se em nosso blog para receber outras publicações sobre arte e cultura.

Comments


bottom of page