• Luiza Pessôa

Madrugada

Atualizado: 20 de Set de 2020

Madrugada: sinto o gemido da noite

[em meu peito.

É assim que o vento atravessa meu

[corpo e espírito.

Olhos abertos, peito teso.

Mais um poema sem peso,

A ser guardado, lamentado

[e apagado,

Quando, sob a luz do dia,

O vento perder a poesia.


Autoria de Luiza Pessôa


Leia mais poesias da autora no Ao Redor.



Luiza Pessôa

sobre a autora

Luiza é bailarina, graduada em História, mãe da Antônia e amante fiel das artes, em todas as suas expressões. A literatura nunca foi um plano, mas sempre um amparo, acolhendo suas emoções. Atualmente, integrando a Cia Corpoiesis, explora o entrelaçamento das linguagens da dança e da literatura.

Acompanhe a autora

Instagram

YouTube