• Ao Redor - Cultura e Arte

ANSIEDADE NA PERFORMANCE DO CANTOR

Pesquisas feitas no século XX demonstram que a ansiedade pode ter consequências diferentes de acordo com a personalidade do artista.

Todo cantor que quer ser um bom profissional busca o aprimoramento da técnica vocal. Contudo, apenas a técnica não torna a performance do cantor completa. Além do domínio da técnica, o "conhecimento de estilo e estética, condição emocional, capacidade de raciocínio, capacidade de expressão e condição física do executante " (RAY, 2015), interferem no desempenho do artista. A interação de todas essas habilidades é muito importante. Neste artigo, abordaremos a condição emocional do artista.


O controle emocional se torna algo essencial, pois sem ele a técnica vocal, a interpretação e o raciocínio do cantor durante sua performance são, muitas vezes, prejudicados devido às alterações que as emoções causam em nosso corpo e que, frequentemente, não são favoráveis para a execução da música pelo cantor.


Alguns cantores relatam sentir apenas um “friozinho na barriga” que passa logo que começam a cantar, mas, muitos sentem que seu desempenho no palco é prejudicado por esse sentimento e que poderiam ter feito uma apresentação melhor se estivessem calmos e relaxados.


"Acredita-se que a maioria dos intérpretes apresenta algum tipo de medo ou

ansiedade antes de uma performance. Para alguns autores, inclusive, a ausência desses estados psicológicos seria prejudicial a uma boa apresentação artística" (DORNELLAS, 2012).


Por outro lado, a ansiedade pode fazer com que várias elementos da performance possam sair do controle do cantor. É muito comum ouvir desses artistas que em seus ensaios fazem melhor do que em dia de apresentação ou que a voz não estava tão boa quanto em seus treinos. Isso ocorre porque a ansiedade pode afetar de diversas maneiras o desempenho do cantor. Pode abalar seus pensamentos e sua cognição e/ou afetá-lo fisiologicamente, alterando sua respiração, tensionando seu corpo, causando tremores e até mesmo alterando o funcionamento de seus órgãos, o que pode impactar diretamente sua performance.


Diversos aspectos podem estar relacionados à ansiedade que cantores relatam ao se apresentar, entre eles: a expectativa do público ou do contratante; a falta de preparo; a própria personalidade do cantor e o modo como ele lida com a exposição.


Todo cantor que sobe em um palco para se apresentar tem uma plateia, e esta plateia tem expectativas sobre o que será apresentado. As pessoas querem se emocionar, buscam se identificar de alguma forma com o que estão assistindo. Segundo Cristine Bello Guse: "Hoje em dia há uma tendência, ou mesmo uma expectativa do público, em exigir do cantor lírico uma desenvoltura cênica equiparada àquela do ator" (GUSE, 2009).


Além da expectativa do público, o cantor precisa lidar com suas próprias expectativas em relação a si, a suas capacidades e desafios pessoais.


Outro fator que gera ansiedade na hora de uma apresentação é a falta de preparo, ou porque o artista simplesmente não estudou o suficiente e tem dúvidas na melodia ou na letra da música, ou pela própria falta de preparação técnica, o que pode gerar medo de não alcançar uma nota, de perder o fôlego ou de não conseguir executar alguma manobra vocal. Nesse caso, esse cantor deve optar por algo mais fácil, que esteja dentro de seus limites técnicos e, assim, ele se sentirá mais seguro para executar a música.


A ansiedade também pode surgir em função da importância que um trabalho tem para o cantor. Quando surge uma apresentação em que haverá uma plateia muito grande ou com pessoas influentes, é comum que o cantor sinta a responsabilidade de fazer uma apresentação impecável. Além da, já mencionada, expectativa da plateia, o cantor sabe que será avaliado por seu desempenho e que uma boa atuação pode significar novas oportunidades de trabalho e uma projeção em sua carreira.


Vale ainda mencionar os aspectos referentes à personalidade do cantor. Uma pessoa tímida, por exemplo, pode ter mais dificuldade em encarar um público do que uma pessoa extrovertida.


Pesquisas feitas no século XX demonstram que a própria ansiedade pode ter consequências diferentes de acordo com a personalidade do artista: “Os mais otimistas, por exemplo, tendem a encarar a ansiedade como um desafio e melhoram sua performance. Com os pessimistas, ocorre o contrário: pioram seu desempenho sob algum nível de estresse...” (DORNELLAS, 2012 apud

SANTI, 2012).


O mais importante é que o cantor reconheça o que, em sua personalidade, dificulta seu trabalho e busque meios para lidar com isso da melhor maneira. Nesses casos, nem sempre o resultado é rápido. Modificar um traço de personalidade exige muitas vezes um trabalho terapêutico longo e muita força de vontade. Padrões de ansiedade ocorrem de maneira reflexiva e seu controle dependerá de que a pessoa consiga perceber e racionalizar a situação de estresse quando ela surgir.


A exposição é uma consequência direta da escolha da profissão de cantor. Acontece que tal exposição nem sempre é algo simples de se lidar, especialmente porque nem sempre termina quando o cantor sai do palco. Ele fica suscetível a elogios e críticas, as pessoas opinam sobre sua vida e tudo o que faz ou fala pode se tornar público, em menor ou maior escala, dependendo da fama e reconhecimento do cantor.


Encarar essa realidade pode ser difícil se o cantor não tiver um preparo emocional para isso. O nível de ansiedade pode tornar-se nocivo e gerar transtornos como depressão, síndrome do pânico, entre outros.


Por isso, sempre que o artista identificar essa ansiedade como algo além de uma inquietação normal diante de uma apresentação, deve procurar ajuda profissional.


A oferta de terapias alternativas para distúrbios da ansiedade é crescente. É possível encontrar terapias orientais, como shiatsu e acupuntura, práticas de meditação, técnicas de relaxamento e respiração, yoga, homeopatias, métodos de criação mental de imagens, rotinas pré-performance, hipnose, entre outras práticas que podem contribuir para o controle da ansiedade, além das terapias e tratamentos tradicionais com psicólogos ou psiquiatras.


"Aprender a lidar com a ansiedade também passa por aprender a identificá-la"

(DORNELLAS, 2012). Tendo isso em vista, tratamentos terapêuticos podem ajudar a pessoa a perceber o gatilho que desperta a ansiedade nela e, assim, começar um tratamento para cessar os sintomas negativos da ansiedade.


Patrícia Scagliusi de Carvalho


Sobre a autora

Patricia Scagliusi é graduada em canto lírico e cursou pós-graduação em canto e expressão. Atualmente canta na banda de metal Arcana Elysium e se apresenta em eventos diversos como cantora lírica e como cantora popular.

Instagram da Patricia Scagliusi: @patricia.scagliusi