• Ao Redor - Cultura e Arte

Poética da solidão

Atualizado: 26 de Ago de 2020

Hoje falaremos de dança, música e poesia. O vídeo apresentado neste post consiste em um videodança que tem como inspiração primeira a música “In der Fremde”, um Lied de Schumann com poesia de Joseph Freiherr von Eichendorff.


Um “Lied” ou, no plural, “Lieder” é um tipo de composição característica da cultura alemã, geralmente composta para piano e voz solo a partir de poemas. Os “Lieder” buscam expressar em música os sentimentos e imagens sugeridos pelas construções literárias. Segundo historiadores da música, as primeiras formas de Lied surgiram ainda no século XV, mas só no período romântico esse tipo de composição se consolidou e ganhou força em compositores como Mahler, Schubert, Schumann, entre outros.


E se houve um compositor que representou deveras o espírito do romantismo, este foi Robert Schumann. Nascido em 1810, teve uma vida típica de um personagem romântico, vivida intensamente, repleta de paixão, dúvidas e tormentos. Sua música reflete esse espírito. É o que podemos ouvir no Lied “In der Fremde”.

A letra, de Joseph Freiherr von Eichendorff, um dos mais importantes escritores românticos alemães, apresenta um eu-lírico solitário e dividido entre passado e presente, entre uma identidade coletiva (familiar) e a individuação, um eu-lírico cuja alma imersa em solidão traz à tona os sentimentos mais profundos e obscuros dos seres humanos.


No videodança apresentado a seguir, a música de Schumann, em uma interpretação singular, não é pano de fundo, mas condutora das emoções trazidas à tona durante o vídeo. A profundidade desta obra musical permite acessar campos emocionais de forma única, atravessando a camada interpretativa. O trabalho recorre a uma composição coreográfica solo que entrelaça a linguagem da dança contemporânea a uma estética fotográfica que explora contrastes e conta, ainda, com o figurino complementado por um amplo tecido que se torna parte do próprio corpo e da própria trama de angústias em que o eu-lírico está imerso.


O trabalho empenha-se, assim, em uma abordagem esteticamente poética e sinestésica da solidão, como já propõe a própria música de Schumann.


(Arraste para a direita e coloque em modo tela cheia)

Ficha técnica

Bailarina: Luiza Pessôa

Filmagem e edição: Luiza Pessôa

Música: In der Fremde de Robert Schumann

Voz: Angelo Tribuzy


Letra e tradução da música "In der Fremde"


Aus der Heimat hinter den Blitzen rot

Da kommen die Wolken her,

Aber Vater und Mutter sind lange tot,

Es kennt mich dort keiner mehr.


Wie bald, wie bald kommt die stille Zeit,

Da ruhe ich auch, und über mir

Rauschet die schöne Waldeinsamkeit

Und keiner kennt mich mehr hier

Da pátria por detrás do rubro dos relâmpagos,

De lá vêm as nuvens,

Mas pai e mãe já estão mortos há tanto tempo,

Lá ninguém me conhece mais.


Tão logo, tão logo virá o tempo da paz,

Então descansarei também, e sobre mim

Sussurrará a bela solidão dos bosques,

E ninguém me conhecerá mais aqui.


INSCREVA-SE para receber notificações de novas publicações sobre cultura e arte!