• Ao Redor - Cultura e Arte

Sambinha

Antigamente eu pensava

que não ia aguentar

se eu cantar eu morro,

[se eu cantar eu morro

morro de vergonha ai ai ai


enquanto isso matutava

algum dia há de dar

se eu não morrer eu canto,

[se eu não morrer eu canto

canto algum dia ai ai ai


e quando eu menos esperava

fiz eu mesma sem pensar

fiz um batuque novo,

[fiz um batuque novo

novo batuque que sai ai ai


e minha gente hoje eu penso

que não posso mais parar

se eu não cantar eu morro,

[se eu não cantar eu morro

morro sem vergonha ai ai ai


Autoria de Diana Vilela Behrens


Sobre a autora

Diana Vilela Behrens é exploradora de pontos de vista, formada em Ballet, Artes Cênicas e Cinema. Atua em diversas funções artísticas, em processos de criação coletiva em sua maioria. Em 2019 publicou seu primeiro livro: Vai, cai, do qual extraiu-se a poesia aqui publicada. Pós-graduada em Ciências Holísticas, atualmente dedica-se ao aprendizado de permacultura e a atividades de bem estar e ecologia.

Clique para acessar o livro "Vai, cai"


Acompanhe a autora no Instagram


INSCREVA-SE para acompanhar o

conteúdo do blog!