• Ao Redor - Cultura e Arte

O balé ganha um novo talento

O amor de Isac pelo balé começou cedo e seu sonho de tornar-se um bailarino profissional parece cada vez mais real.

O artigo de hoje traz a história de Isac Henrique, um jovem de 18 anos, morador do interior do Rio de Janeiro, que acabou de ganhar uma bolsa de estudos na renomada escola de balé “Dalal Achcar” com pouco mais de um ano de estudos.


Isac Henrique de Oliveira do Nascimento, nascido em Petrópolis, região serrana do estado do Rio, acabou de completar 18 anos no dia 19 de maio de 2021. A data coincidiu com seu primeiro dia de aula na escola do Ballet Dalal Achcar, uma das mais importantes escolas particulares de balé do Rio de Janeiro, responsável pela formação de importantes nomes da nossa dança. São gerações de bailarinos formados pela escola que em 2021 completa 50 anos de sua fundação. Para Isac, a data do início das aulas não foi só coincidência, mas um grande presente de aniversário.


O estudante começou a fazer balé há menos de dois anos, com dificuldades financeiras para pagar os estudos de dança, passou por algumas escolas em sua cidade, sempre solicitando bolsa e indo a pé para as aulas para economizar o dinheiro da passagem de ônibus. Em 2019 conseguiu uma bolsa no Ballet Stella de Mello, onde passou a se dedicar cada vez mais às aulas e onde encontrou professoras que, segundo Isac, foram “anjos que cruzaram seu caminho”.


Isac iniciou seus estudos nessa escola com as professoras Geisa Montes e Luiza Pessôa em turmas de balé para iniciantes. Rapidamente, com esforço e dedicação, evoluiu para as turmas de intermediário. Agregou aos seus estudos, aulas de consciência corporal e dança contemporânea com Paloma Clinquart.


A primeira vez que o Isac veio fazer uma aula minha, eu fiquei assustada! Nunca tinha visto alguém chegar com tanto potencial sem ter feito nada de dança antes, acho que nem ele sabia do quanto ele era capaz. Decidi dar uma bolsa de estudos pra ele. Um talento assim não se deixa passar despercebido não.” (Geisa Montes, professora do Ballet Stella de Mello).


Isac conta que suas professoras, Paloma e Geisa, acreditaram em seu potencial e resolveram inscrevê-lo na audição da escola Dalal Achcar que oferecia bolsa integral para bailarinos de 15 a 24 anos. O resultado saiu mais rápido do que eles imaginavam e a notícia da aprovação veio no dia 12 de maio trazendo alegria e ao mesmo tempo bastante agitação para a vida de Isac e de suas professoras. Ele nos contou um pouco sobre a prova e a notícia da aprovação:


“Existem dois anjos que me ajudaram e muito, Geisa Montes e Paloma Clinquart. Elas que souberam da prova e me inscreveram. No dia da prova eu estava mais preocupado com o caminho do que com a prova em si, que era fora da minha cidade. Uma semana depois da audição, soubemos do resultado e começamos a correr com um monte de coisas e promover campanhas de arrecadação para ajudar com transporte e lugar para eu ficar no Rio.”


Isac nos contou que desde pequeno gostava de dançar, mas que sempre soube que não seria fácil. As dificuldades financeiras, os desafios que a própria dança oferece e os preconceitos já sofridos fazem parte da sua história, mas ele tem certeza de que o seu desejo é tornar-se bailarino profissional e viver da dança.


“Os preconceitos e as dificuldades que os bailarinos encaram no seu dia a dia são prejudiciais e tóxicos, eu sempre soube que não seria fácil, mas, por saber que existem pessoas que acreditam em mim e me apoiam, tento dar o máximo em todas as aulas.”


Isac nos mostra que os desafios da dança não são apenas as conquistas físicas ou artísticas. Ele conta que a dança o ajudou a entender suas limitações e treinar sua paciência e, quando perguntamos o que a dança lhe trouxe de melhor, Isac respondeu:


“A felicidade. Parece clichê, mas percebi que sou apaixonado pela dança. Eu fico triste quando tenho que faltar aula por algum motivo.”


Isso nos lembrou de uma frase do filósofo Roger Garaudy em seu livro “Dançar a Vida”:

“É que a dança não é apenas uma arte, mas um modo de viver.”


Além da dança, desenhar é outra habilidade do jovem artista.

Agora, Isac se prepara para muitas mudanças em sua vida: 18 anos, uma nova cidade, novos objetivos e muito esforço e dedicação pela frente, não só para aprender a dançar, mas para conseguir manter os estudos em outra cidade, já que agora, não dá para ir a pé. Por isso, Isac conta com apoio de pessoas que acreditam em seu potencial através de campanhas de financiamento coletivo. Além disso, Geisa Montes, sua professora, está produzindo um documentário que irá mostrar os bastidores de sua história e que conta com o incentivo à cultura oferecido pela Prefeitura de Petrópolis, sua cidade.

Além da dança, o artista Isac também desenha e seus desenhos, comercializados pelo Instagram, serão mais uma fonte de renda para manter seus estudos em busca da realização dos seus sonhos.


Sobre Isac

Isac Henrique tem 18 anos, é petropolitano e estudante de balé.


Rede social: @isac_black_ballet


Para contribuir com a formação do bailarino:

https://benfeitoria.com/isacdepetropolispromundo