• Ao Redor - Cultura e Arte

Centro Cultural Correios RJ pode fechar após 28 anos de atividades culturais


fachada do Centro Cultural Correios RJ
Centro Cultural Correios RJ - fachada

O Centro Cultural Correios RJ, importante espaço de difusão da arte e da cultura nacional, pode ser fechado e vendido por "não apresentar utilidade burocrática ou lucrativa." Justificativa inaceitável tendo em vista a constante atividade do local que sempre oferece exposições de artistas nacionais e internacionais. Local conservado, seguro, de fácil acesso e cheio de história.


Segundo a assessoria de imprensa do local, o risco de fechamento se dá pela inclusão do prédio na lista de imóveis do governo que podem ser vendidos para fazer caixa, sem qualquer parâmetro ou consulta aos verdadeiros donos, os cariocas, os brasileiros. Ainda segundo a assessoria de imprensa dos Correios no Rio e em Brasília, "ainda não há nada decidido nesse sentido". No entanto, o prazo dado ao Centro Cultural para apresentar a tal "utilidade burocrática ou lucro" se encerra no fim deste ano. Segundo a Lei 14.011, qualquer pessoa física ou jurídica pode apresentar uma proposta de compra para qualquer imóvel do governo, que decide ou não pela venda. No entanto, muitos prédios pertencentes aos cariocas, à história e à herança cultural da cidade, estão nessa lista.


Poderíamos dizer que não reconhecer a utilidade de um centro cultural com tamanha atividade seria desvalorizar a arte e ignorar sua importância na formação e manutenção da identidade cultural de uma sociedade; desconhecer que arte, cultura e sociedade são indissociáveis e que a arte é um instrumento de coesão social. No entanto, diremos que essa não é uma justificativa de quem apenas ignora a importância da arte, mas sim, de quem tem total consciência de sua importância e de sua essência transformadora e, por isso mesmo, pretende enfraquecê-la.

O prédio do Centro Cultural Correios RJ completará 100 anos em 2022. Localizado no Corredor Cultural do Centro do Rio, sua arquitetura se completa com o CCBB RJ, a Casa França-Brasil e a Praça XV, que dá caminho ao Porto do Rio, ao Museu de Arte do Rio e ao Museu do Amanhã.

Os eventos culturais realizados no Centro Cultural Correios RJ movimentam o cenário artístico da cidade e são um incentivo ao turismo. As exposições abertas ao público gratuitamente democratizam o acesso à arte de real valor artístico e cultural. Não há, portanto, razões para considerar seu fechamento.


O Ao Redor é contra o fechamento do Centro Cultural Correios RJ, contra o fechamento de espaços culturais, escolas de arte e museus, a favor de uma gestão que priorize a cultura, assim como a educação e a saúde e trabalhe pela qualidade de vida da população.

Há um abaixo assinado contra o fechamento do Centro Cultural Correios RJ na plataforma AVAAZ.org Clique para assinar.


Conheça a História do Centro Cultural Correios RJ


As linhas arquitetônicas da fachada, em estilo eclético, caracterizam o prédio do início do século, construído para sediar uma escola do Lloyd Brasileiro. Mas isto não ocorreu e o prédio foi utilizado, por mais de 50 anos, para funcionamento de unidades administrativas e operacionais dos Correios. Na década de 80, o imóvel foi desativado para reformas, sendo reaberto em 2 de junho de 1992, parcialmente restaurado, para receber a "Exposição Ecológica 92", evento integrante do calendário da Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente - RIO 92.


A inauguração do Centro Cultural aconteceu em agosto do ano seguinte, com a Exposição Mundial de Filatelia - Brasiliana 93. Desde então, o Centro Cultural Correios vem marcando a presença da instituição na cidade com promoção de eventos em áreas diversas, como teatro, vídeo, música, artes plásticas, cinema e demais atividades voltadas à integração da população carioca com formas variadas de expressão artística.


Visite o Centro Cultural Correios RJ


Confira no site da instituição, a programação que conta, no momento, com oito exposições abertas.


O Centro Cultural Correios RJ funciona de terça a sábado, das 12h às 19h, obedecendo às regras sanitárias, com reduzido número de visitantes e obrigatoriedade do uso de máscaras.


Endereço: Rua Visconde de Itaboraí, 20, Centro, RJ.

Entrada gratuita. Acessibilidade.