• Ao Redor - Cultura e Arte

Artista Ribahi inaugura a exposição individual “Gênese” no Rio de Janeiro.

Atualizado: Set 8

No caminho das pedras e dos metais, o artista Ribahi trilha sua carreira nas artes visuais e apresenta, a partir do dia 9 de setembro, a exposição individual “Gênese”, com 11 obras em quartzos, ônix, fuchisita verde, vergalhões, arame e latão, materiais brutos que, através das mãos do artista, ganham representações sutis e relevantes.

foto da obra de arte do artista Ribahi. Obra em pedras e vergalhões.
Obra "FLORESTAS", uma das obras do artista Ribahi.

A sala circular do Centro Cultural Correios RJ, onde acontecerá a exposição, sob curadoria de Charles Cosac, oferece arquitetura privilegiada para que o público possa circundar as obras do artista que, por sua natureza tridimensional instiga a observação de diferentes ângulos.


Tendo transitado por diversos campos das Artes, como teatro, cinema e literatura, foi nas artes plásticas que Ribahi se encontrou:


“Deixei os estudos de Engenharia para entrar em uma companhia teatral. Fundei minha produtora e por 25 anos criei, dirigi, escrevi e atuei. No início, imaginava minhas peças como joias; utilizava as mesmas técnicas e os mesmos materiais. Pedras e metais. O metal transmite solidez, as pedras, emitem luz. Minha experiência trabalhando em uma fábrica de joias na Tailândia foi fundamental para um primeiro momento da minha carreira, uma vez que lá tive a oportunidade de aprimorar técnicas que empreguei nas primeiras criações”, relembra o artista.

A exposição Gênese abarca a produção recente, de 2020 a 2021, do artista.


“O curto caminho percorrido por Ribahi, de 2018 a 2021, é coerente e promissor, e essa mostra traduz seu rápido desenvolvimento e maturidade desde sua última exposição coletiva, Encantos, de 2019”, analisa o curador, Charles Cosac.


Sua primeira série, “Os Corações”, tem grande débito à linguagem da joalheria, profissão que o artista exerceu por vários anos e que, não apenas o inspirou, mas também lhe conferiu um profundo conhecimento e domínio do universo da fundição, ourivesaria, fusão de diferentes materiais e, sobretudo, a intimidade com as gemas – um dos “ingredientes” mais importantes em sua obra. Considerando o tão curto intervalo, há uma grande evolução entre as obras das exposições “Encantos” e “Gênese”.


Sobre o artista

Ribahi nasceu em Patrocínio, Minas Gerais, em 1965. Foi criado na fazenda da família solto e selvagem, como diz o artista. Em suas andanças pelos campos sempre observou os grandes cupinzeiros. Foi nessas primeiras incursões com a experiência do barro que Ribahi se descobriu artista. Deixou a engenharia, que estudou por três anos no Rio, para entrar em uma companhia teatral. Essa paixão pelo teatro o levou à Itália e por lá ficou. Fundou sua produtora e por 25 anos criou, dirigiu, escreveu, produziu e atuou. Mergulhou em vários campos: teatro, cinema, literatura e nas artes plásticas sintetizando todas essas experiências visuais. Esta é a terceira exposição individual do artista.


Instagram do artista:

@ribahiartista


Serviço:

“Gênese” – Ribahi apresenta 11 esculturas em pedra e metal

Abertura: dia 9 de setembro, quinta-feira, às 17h30

Período: de 10 de setembro a 24 de outubro de 2021

Curadoria: Charles Cosac

Centro Cultural Correios RJ

Endereço: Rua Visconde de Itaboraí, 20 – Centro - RJ.

Visitação: de terça a sábado, das 12h às 19h

Entrada gratuita